Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 12 de abril de 2010





laminados



I - Imagino a barra da saia da tua mãe com uns 3m de diâmetro para abrigar toda a tua covardia.

II - O mínimo que tu poderias fazer é inventar um novo repertório de flerte, afinal é um desrespeito ao que a gente viveu.

III - Semanalmente, perguntar: "e aí? tá casada?" é muita pobreza de espírito. Até porque quem casou foi tu.

IV - O que tu precisavas eram justamente aquelas "declarações de amor 6ª série" -- e isso eu jamais poderia te dar.

V - Ich weiß, dass es Sie am Telefon war!

VI - Será que aprendeu a gostar de sertanejo universitário?

VII - Não. Tu és a minha alucinação por lítio.

VIII - Why are you doing this to me? I'm sick of it. Oh please, just come down here and we'll sort things out.




sábado, 14 de novembro de 2009

sexta-feira, 13 de novembro de 2009




polifonias


Em silêncio, aguardavam pelo atendimento. Ela estava na segunda cadeira da esquerda pra direita, na terceira fila distraindo-se com a textura das novas caixas de postagem. Ele, no sentido oposto, entediado na quinta fileira, folheava a última revista dos Correios. De repente, ouviram a moça do guichê anunciar: Euforia, pode passar. Os dois se levantaram.

- Com licença. Me desculpe, mas acho que é a minha vez. Meu nome é Euforia.
- Sim, tudo bem. Mas meu nome também é Elforia.
- Como assim, Euforia? Também?! É impossível. Mamãe criou esse nome pra mim trocando o "u" de Eufúria. Tu tá me sacaneando porque não aguenta mais esperar na fila, né? Não achei nada engraçado. Pode sentar aí e esperar a tua vez, moço.
- Não, não. Tu não tá entendendo. Não tem nada de "u". Meu nome é com "éle". ELforia. Sabe mitologia? Elfos? Então. Minha mãe viu a imagem de um num calendário do cartório onde me registrou. Ela achou que era um sinal. Como sorria, logo Elforia.
- HAHAHAHAHAHA! HAHAHAHAHA!
- hrjwrwejrjhwkrwrw! wfdskfskfjskfksfs!
- Nossa!
- Hmmm... Que houve?
- Mas tu ri só com as consoantes? Como tu consegue?
- Ué? Como assim, guria?! Eu rio normalmente. Tu tá louca?
- Não, não tô.
- Tá, sim.
- Ri de novo. Tu ri diferente de todo mundo que eu conheço.
- Não rio, não.
- Ri, sim.
- Esse papo tá me aborrecendo. Não quer ser atendida? Pois eu quero. Com licença.
- Mas... Elforia, eu...
- Me deixa.

Euforia sentou-se novamente na segunda cadeira da terceira fila, mas agora da direita pra esquerda. Ficou observando Elforia retirar o seu pacote. Sim, era mesmo a vez dele. Ela havia se enganado. Mas isso ela tirou de letra -- inclusive as raras coincidências dos nomes e desvario das mães. O que ela não entendia é como alguém poderia gargalhar sem as vogais, sem escancarar a boca e colocar o ar pra fora. Foi quando percebeu:

- Acho que ele consegue porque ri só em minúsculas.



quarta-feira, 19 de agosto de 2009

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

quinta-feira, 30 de julho de 2009






(ilustração: m.k.)







caro Deus,

gostaria de saber se isso é uma piada cósmica ou algo do gênero. se não for o caso, trata-se de uma alucinação ou ele realmente existe?

atenciosamente.

Tua amiga,
priscila.